OPINIÃO

Escritor do dia: José Eduardo Agualusa

A Feira do Livro está no Parque Eduardo VII, em Lisboa, até 18 de junho e a Notícias Magazine pediu a vários escritores dia que respondessem a um Questionário Proust. Começamos com José Eduardo Agualusa, que acaba de lançar o romance «A Sociedade Dos Sonhadores Involuntários». As respostas de um angolano que um dia gostaria de saber dançar.

O que é que está a ler?
Um lugar chamado Angola, da escritora cubana Karla Suarez.

O que é que está a escrever?
Crónicas para o jornal brasileiro O Globo.

Quem é o seu escritor preferido?
Tenho muitos escritores preferidos, dependendo se faz chuva ou se faz sol; se vou ler em viagem, na praia ou numa rede, etc.. Para quê ter apenas um escritor preferido se posso ter muitos?

Quem é o seu herói da ficção?
O Velho, d’O Velho e o Mar.

Qual é o seu palavrão preferido?
Sheisse (assim mesmo, em alemão).

Que palavra nunca usa?
Suportado (no sentido de apoiado, e odeio quem faz isso).

Quem é a pessoa que mais admira?
Os meus pais.

Que talento gostaria de ter?
Gostava de saber dançar.

Qual é o seu maior feito?
Uma vez dancei rumba e fui aplaudido (por ingleses, é certo, mas enfim…).

Se pudesse escolher, em que país teria nascido?
Numa Angola democrática, próspera, justa e livre.

Qual é a sua ideia de felicidade?
Dançar (muito bem) com a mulher amada.

Qual é o seu maior medo?
O medo.

Qual é o seu lugar preferido do mundo?
A cama.

Que qualidade mais aprecia numa pessoa?
A generosidade.

Se pudesse reencarnar, gostaria de voltar em que pele?
Numa pele mais morena.

Que livro ofereceria a Marcelo Rebelo de Sousa (para ele ler mesmo)?
A trilogia d’As Areias do Imperador, do Mia Couto.

Se desse de caras com Donald Trump, o que faria?
Sheisse (assim mesmo, em alemão)

Com quem é que gostaria de tirar uma selfie?
Com o meu tetraneto mais novo, no centésimo aniversário dele.

Qual é o seu lema de vida?
Viver a vida inteira.

Qual o final mais marcante que já leu?
«Ao cimo da estrada, na sua cabana, o velho adormecera outra vez. Ainda dormia de bruços, e o rapaz estava sentado ao pé dele, a observá-lo. O velho estava a sonhar com os leões.»