OPINIÃO

Como dar mais luz à sua casa

Desafio: Iluminar uma casa com 450 metros quadrados, perto da praia, em Leça da Palmeira.

O desafio para remodelação era este. Parecia perfeito, exceto numa coisa: a falta de luz. O ateliê responsável pelo trabalho encontrou as soluções perfeitas.

«Os proprietários queriam, nesta fase das suas vidas, um ambiente mais leve, em que a luminosidade, a descontração e o bem-estar fossem as notas dominantes», recorda Sheila Moura Azevedo, a designer responsável pelo projeto de arquitetura de interiores e decoração. O problema tinha origem, sobretudo, nos tons das paredes e do mobiliário. Pesado e escuro, era pouco compatível com o casal e três filhos, que ali queria construir um espaço onde a sua história, vivência e gostos pessoais pudessem conviver.

A solução passou por reformular os ambientes, apostando em «peças de autor, coordenadas com outras à medida, papéis de parede criteriosamente escolhidos para criar os ambientes certos para cada membro da família» e a conjugação desses elementos com o que já existia – «que conta a história da família e traz identidade ao habitar diário».

Apaixonados por África, os proprietários não quiseram deixar de incluir referências ao continente na decoração. Foi fundamental também encontrar um equilíbrio entre os ambientes étnicos e a modernidade e praticidade que se pedem a uma casa de família.

É o que se passa na sala, onde convivem zona de estar e de jantar, delimitadas por uma elevação do piso. Aos elementos étnicos e materiais naturais juntam-se peças de traço arrojado, algumas criadas pelo Shi Studio, como as cadeiras na sala de jantar, «escolhidas com o objetivo de tornar mais leve o espaço», coordenadas com a mesa Prora, da Bonaldo. Para esse fim contribuem também o grande espelho fracionado, o aparador duplo branco, também da Shi Studio, a iluminação escolhida ou o banco com padrão de azulejos portugueses, da Loloca.

Na zona de estar, mais baixa e com ligação ao jardim, o ambiente foi concebido para incluir duas áreas distintas: uma mais pensada para o convívio, com uma pequena biblioteca, onde os sofás e cadeiras estão posicionados de maneira a aproveitar ao máximo a relação com o exterior; e uma outra para ver TV, com grandes sofás em L, cadeirões e mesas de madeira maciça – que se conjugam na perfeição com o papel de parede da Élitis.

Na suite principal, o estilo étnico e colonial foi desenvolvido com base em peças como as mesas de cabeceira de mármore e latão, criadas pelo estúdio, a cabeceira estofada, que emoldura o papel de parede ou os cadeirões de fibra natural. Já nos quartos das crianças, o objetivo foi conceber ambientes que refletissem as suas personalidades, gostos e necessidades, respeitando a idade dos ocupantes e proporcionando-lhes um espaço confortável, leve e prático – e, sim, luminoso.

 

PROJETO:
Casa Leça da Palmeira
AUTOR: Shi Studio
LOCAL/DATA: Leça da Palmeira, fevereiro 2016

Laura Patrício