OPINIÃO

Catarina Fernandes Martins vence prémio de jornalismo Fernando de Sousa

Catarina Fernandes Martins venceu hoje o prémio de jornalismo Fernando de Sousa com uma reportagem publicada em junho no jornal Público. O artigo retrata o acolhimento de refugiados no nosso país.

Catarina Fernandes Martins venceu hoje o prémio de jornalismo Fernando de Sousa com a reportagem Portugal estendeu os braços. E se isso não chega? O artigo retrata o acolhimento de refugiados no nosso país e foi publicado originalmente no jornal Público em junho do ano passado. «Senti neste trabalho que começa a haver consciência que, no acolhimento aos refugiados, a boa vontade não chega. A integração requer tempo e esforço», disse a jornalista.

Esta foi a primeira edição do prémio criado pela representação portuguesa da Comissão Europeia para homenagear o jornalista Fernando de Sousa, correspondente da SIC e do Diário de Notícias em Bruxelas, que morreu em 2014. O concurso distingue trabalhos que se debrucem sobre questões europeias, tem uma categoria para jornalistas profissionais e outra para estudantes. Nesta última, o prémio foi atribuído ex-aequo a Tomás Nogueira pela peça Chefe da Representação da União Europeia em Portugal fala à RUC, difundida na Rádio Universitária de Coimba, e a Pedro Costa, Tiago Ramalho, Pedro Esteves e Paulo Costa pelo artigo O “bicho papão” não mora aqui, sobre a discriminação das comunidades ciganas, publicada na revista online ComUM da Universidade do Minho.

Catarina Fernandes Martins é jornalista freelancer e colabora regularmente com a Notícias Magazine. Já escreveu para esta revista sobre como os portugueses no Reino Unido lidam com o brexit, um aristocrata russo que fabricava vinhos em Portugal, a explosão de turismo em Lisboa e Porto ou as colónias anticapitalistas que estão a invadir o Alentejo.