OPINIÃO

Sempre a correr para a casa de banho? Atenção à próstata

Hiperplasia Benigna da Próstata é uma patologia com forte impacto na vida dos doentes. A urgência e frequência urinária e as perdas de urina perturbam o bem-estar. O rastreio é importante e sangue na urina é sempre um sinal de alarme em qualquer situação.

Texto de Sara Dias Oliveira | Fotografia de Shutterstock

Necessidade de urinar com mais frequência? Levanta-se várias vezes de noite para ir à casa de banho? Sente urgência em urinar e tem perdas de urina? Tem dificuldade em iniciar a micção e o jato é mais fino, fraco, curto e, por vezes, interrompido? É homem?

Atenção. Os sintomas podem indicar uma Hiperplasia Benigna da Próstata, doença mais frequente que o cancro. É uma doença progressiva, a glândula prostática cresce e obstrói a saída da urina, e a sua incidência aumenta com a idade. Uma patologia com fortes impactos na qualidade de vida.

«Nos homens de meia-idade e também nos mais idosos, estes sintomas são frequentemente interpretados como um fenómeno normal do envelhecimento. Na realidade, são sintomas de uma doença que pode evoluir para complicações, entre as quais a retenção urinária aguda, que é uma situação em que o doente tem que ser algaliado com urgência por um bloqueio completo do fluxo urinário», avisa Ricardo Pereira e Silva, médico urologista e assistente hospitalar do Serviço de Urologia do Centro Hospitalar Lisboa Norte.

Além desses sintomas, encontrar sangue na urina é sempre um sinal de que algo não está bem. É um sintoma de Hiperplasia Benigna ou cancro da próstata, bem como de outras doenças do aparelho urinário tal como tumores da bexiga ou cálculos renais. É, portanto, sintoma que nunca deve ser ignorado para que a causa seja investigada.

Trata-se de uma doença progressiva, a glândula prostática cresce e obstrói a saída da urina. A sua incidência aumenta com a idade e esta patologia tem fortes impactos na qualidade de vida.

Há várias categorias de medicamentos para o tratamento, frequentemente eficazes para o alívio dos sintomas. Nos casos de persistência dos sintomas, pode ser necessário realizar exames adicionais do foro urológico e os doentes poderão ser sujeitos a uma intervenção cirúrgica, habitualmente realizada através da uretra.

Até agora não está cientificamente provado que existam medidas eficazes para prevenção desta doença ou para o cancro da próstata, nomeadamente alimentares, que é uma questão recorrentemente colocada nas consultas da especialidade. «A única forma de prevenir complicações irreversíveis é a avaliação por um urologista na presença de sintomas urinários ou, em homens sem qualquer tipo de queixas, a realização do rastreio do cancro da próstata a partir dos 50 anos de idade», sublinha o urologista.

Uma coisa é a hiperplasia da próstata, outra coisa é o cancro. «As diferenças são múltiplas e começam pela própria natureza da doença, benigna ou maligna. Sem dúvida que, apesar da Hiperplasia Benigna da Próstata poder causar diversas complicações incluindo deterioração da função dos rins por mau funcionamento crónico do aparelho urinário inferior (esvaziamento incompleto da bexiga por obstrução prostática), a Hiperplasia Benigna da Próstata é, em grande parte, uma questão de qualidade de vida», refere o médico.

«Ainda assim, não deve ser menosprezado o impacto que os sintomas podem causar e a restrição da atividade que podem implicar – por exemplo, um doente que tem que ter sempre uma casa de banho por perto pode ter dificuldade em ter uma vida normal», acrescenta.

 

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.