OPINIÃO

As Festas Gualterianas: a tradição que se mantém

No primeiro fim-de-semana de agosto de 1958, a cidade de Guimarães saiu à rua para comemorar as Festas Gualterianas. Tradição que se mantém.

Texto João Ferreira Oliveira | Fotografia Arquivo JN

Foi o ano em que Humberto Delgado desafiou Salazar concorrendo contra o candidato do regime, Américo Tomás. 1958. As eleições tiveram lugar a 8 de junho. O General Sem Medo perdeu, mas terá sido o começo do fim da ditadura.

Dois meses depois, em Guimarães, a população assistia ao desfile das Gualterianas (aparentemente) alheada do clima de tensão que se vivia no país. Nada parece conseguir retirar o sorriso aos vimaranenses – como mostra esta imagem do Jornal de Notícias, captada a 7 de agosto desse ano – sobretudo quando se trata das festas da cidade, uma das paixões locais, a par do Vitória Sport Clube.

As famílias engalanavam-se para assistir às atividades de rua, com destaque para a marcha, o ponto alto, com músicos e carros alegóricos a desfilarem pelo centro histórico. Rezam, contudo, as crónicas – a reportagem publicada no JN de 3 de agosto – que a celebração, iniciada em 1906, já teria tido melhores dias.

Com maior ou menor dificuldade, as festas em honra de São Gualter chegaram aos nossos dias e estão de boa saúde.

«Aqui há uns anos atrás, nestes dias que decorrem, a cidade de Guimarães, fiel nos seus pergaminhos e às suas tradições, vestia-se de galas e recebia um sem número de forasteiros, proporcionando-lhes momentos de alegria durante a execução de um programa festivo cheio de atrativos».

O repórter parecia lamentar que apesar de manter «alguns números festivos», este «só podem interessar à gente da terra». Entre esses eventos estava o concurso pecuário. Na categoria de gado bovino venceu Jerónimo Macedo: 400$00. Parabéns. Com maior ou menor dificuldade, as festas em honra de São Gualter chegaram aos nossos dias e estão de boa saúde. Este fim-de-semana – realizam-se sempre no primeiro fim-de-semana de agosto – a cidade voltou a sair à rua.

2017
Os festejos terminam segunda-feira, com a marcha gualteriana, às 23h. Mas entre hoje e amanhã haverá grupos de Bombos, desfile de charretes e corridas de cavalos.