OPINIÃO

Quer um cão ou um gato? Esta plataforma ajuda-o a adotar

Com a nova plataforma euadoto.org, dar um lar a animais abandonados está à distância de um clique. Na primeira semana têm a primazia 53 cães e gatos da Associação Pegadas e Bigodes, de Figueiró dos Vinhos, afetada pelo trágico incêndio de Pedrógão Grande.

Texto NM | Fotografia da Shutterstock

O Noa está em Leiria, foi resgatado por andar a vaguear sozinho nas ruas e vem a correr quando o chamam. O dono do Tom deixou de poder cuidar dele devido ao Alzheimer, o Tom mudou de mãos, mas acabou abandonado e à espera de melhor sorte. O Indy é outro cão meigo, encontrado na rua muito maltratado, já em processo de adoção graças à nova plataforma euadoto.org, que permite dar um lar a animais de companhia abandonados com um clique.

Aqui a adoção é 100 por cento digital, simplificando ao máximo todos os procedimentos habituais num processo online e intuitivo. A própria plataforma foi pensada para funcionar em rede e aliviar a pressão dos centros de recolha.

Aqui a adoção é 100 por cento digital, simplificando ao máximo todos os procedimentos habituais num processo online e intuitivo. A própria plataforma foi pensada para funcionar em rede e aliviar a pressão dos centros de recolha, interligando as associações empenhadas no bem-estar animal e os futuros donos interessados em adotar um animal de estimação. E são mais do que muitas as vantagens de se ter um cão ou um gato, disponíveis na euadoto.org para uma adoção responsável.

«Pela natureza próxima da relação que estabelecem com os donos, creio que são como familiares muito chegados, companheiros de vida», diz a psicóloga clínica Teresa Andrade, falando mesmo em sentimentos idênticos aos de uma amizade entre humanos. «Os cães, sobretudo, veem-nos como familiares e estabelecem uma relação profundamente afetiva connosco. São família, só lhes falta falar. Daí o abandono ser tão trágico.»

Em junho de 2016, o parlamento aprovou por unanimidade um diploma que estabelece a adoção como medida-padrão e apenas autoriza o abate em situações de grande sofrimento ou problemas de comportamento, nunca por questões de sobrelotação (o abate será efetivamente proibido em 2018). Após 15 dias num abrigo, o animal por reclamar deve forçosamente ser esterilizado e encaminhado para uma nova casa.

euadoto.org

COMO FAZER?

Em primeiro lugar, registe-se no site (reservado a maiores de 18 anos). Aceda ao separador «Animais», que inclui uma listagem dos patudos disponíveis e respetivas fotos, além de informações como o género, idade, tamanho e respetivo historial, incluindo como foi encontrado e o grau de sociabilidade com pessoas e outros animais.

Uma vez escolhido o novo companheiro de quatro patas, será necessário preencher um breve questionário destinado a perceber se o animal é o mais adequado às circunstâncias de vida dos interessados na adoção. É ainda marcada uma visita ao abrigo.

Depois de serem validados os procedimentos do centro de recolha, o animal está adotado e será conduzido a um centro médico veterinário para observação e aconselhamento médico gratuitos.

Todo o trabalho de ajuda a animais abandonados promovido na plataforma é realizado em regime de voluntariado, aberto ao público em geral e um elemento basilar de apoio a esta causa.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.