8 dicas para começar a correr (ainda hoje)

Se a corrida ainda não faz parte dos seus hábitos diários, veja estas oito sugestões. Vai querer começar agora.

Texto de Ana Patrícia Cardoso | Fotografia Shutterstock

Correr é das atividades que traz mais recompensas a nível físico e emocional. Não só faz bem ao corpo, músculos e circulação, como também alivia tensões, stress, os problemas parecem perder importância depois de uma boa corrida ao ar livre. E não é preciso estar dependente das aulas do ginásio. Mas começar envolve sempre alguma disciplina e disposição. Estas são algumas dicas simples que ajudam a ganhar coragem para calçar os ténis e ir para a rua.

8. Correr é para todos

Sim, toda a gente pode correr. Independentemente da idade ou peso, a corrida é benéfica para qualquer pessoa. Não só ajuda a reduzir a probabilidade de doenças como cancro, diabetes ou doenças cardiovasculares, como baixa nos níveis de stress. Se tiver alguma restrição, motora ou de saúde, consulte um médico antes de começar. Mas não desista.

7. Planear é uma ajuda

Ajuda mesmo. Seguir um horário realista, que se encaixa no seu dia-a-dia, é meio caminho para ter sucesso. Não vale a pena marcar a corrida para a hora de almoço se já sabe que tem muito trabalho. Ou sábado bem cedo quando gosta de dormir no fim de semana. Estabeleça uma meta e seja honesto.

6. Sim, começar é difícil

Toda a gente tem momentos em que lhe apetecia mais ficar no sofá do que ir correr 30 minutos. Até os profissionais. Mas a verdade é que, no início, quando ainda não é um hábito regular e o corpo não está habituado, custa mais. Não pare depois da primeira, segunda ou terceira corrida.

5. Ter um parceiro de corrida

Por que não juntar-se àquele amigo ou amiga que está há meses a inventar desculpas para não fazer desporto? Ter um running buddy pode ser a receita ideal para contrariar a desmotivação.

4. Conhecer o seu ritmo

Ninguém começa a participar em maratonas no primeiro mês de corrida. Não vale a pena ter pressa. Não há nada de errado em começar devagar, ao seu ritmo. Cada pessoa tem o seu, com mais ou menos velocidade e distância. Se a evolução for gradual, tem mais probabilidade de ser duradoura.

3. Variar os exercícios

Correr é muito benéfico para o corpo, mas outros exercícios também são. Fazer exercícios localizados é a melhor forma de prevenir futuras lesões. Cinco minutos por dia de alongamentos e exercícios têm recompensas físicas a longo prazo. Reserve esse tempo para antes e depois da corrida e vai sentir-se muito melhor.

2. Alimentação também conta

A comida é muito importante em qualquer ocasião, na corrida também. Não é preciso – nem aconselhável – um batido mágico de proteína antes de ir correr. Não vai precisar de mudar a sua alimentação radicalmente, se é essa a sua desculpa. Uma alimentação equilibrada é mais do que suficiente para isso. Certifique-se apenas que faz uma refeição pouco tempo depois do exercício com alguma proteína natural como ovos, iogurte, nozes ou carne branca.

1. Os joelhos não são um problema

Este é um dos mitos mais espalhados sobre a corrida. Não, não está a prejudicar os seus joelhos se for correr. Há já vários estudos que provam o contrário. Um estudo americano de 2013, com 75,000 pessoas que corriam e 15,000 pessoas a andar, comprovou que ambos tinham a mesma possibilidade de desenvolver artrites. O fator de risco para artrites no joelho é a obesidade e não a corrida. Esta desculpa também não vai salvá-lo de começar a correr.

 

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.