OPINIÃO

Como dar vida à sua casa

Quando a casa é decorada à nossa imagem e semelhança, torna-se muito mais confortável.

Entre a serra e o mar, uma família de cinco elementos construiu de raiz uma casa pensada para desfrutar dos momentos em conjunto. Na base colocaram sustentabilidade, criatividade, funcionalidade e uma boa dose de amor, para um espaço com personalidade única, à medida dos seus habitantes.

Construída de raiz para a família de Maria Ana Franco, esta é uma casa muito pouco usual. Não só pela localização privilegiada, no Parque Natural de Sintra-Cascais, mas porque além de proprietária, Maria Ana é também uma das fundadoras da Fusion Interior Design, a empresa responsável por todo o projeto de decoração de interiores.

Mãe de três filhos rapazes, de idades muito diferentes, e com uma vida profissional intensa, Maria Ana quis construir um espaço onde tudo fosse pensado de forma a tirar o maior proveito possível do tempo passado juntos.

Para isso, contou com o apoio do arquiteto Luís Diniz, que concebeu um projeto de traço modernista, respeitando a topografia e o contexto cultural das imediações. Num espaço predominantemente verde, a sustentabilidade foi uma das maiores preocupações no desenvolvimento da casa, com a adoção de soluções ecológicas como painéis solares, lâminas orientáveis nos estores (para regular a luz e o aquecimento), paredes duplas com cortiça expandida entre elas (para uma boa circulação do ar) e um pavimento de bambu, entre outras.

Na decoração, Maria Ana encarou o projeto como «uma tela em branco, onde pudemos dar largas à imaginação». Com a regra dos três erres (reduzir, reutilizar e reciclar) a servir de base, a designer de interiores quis desenhar um espaço «criado para cada um e para todos, onde a personalidade é vincada, vivida, e encontramos uma casa que só poderia ser nossa». Da mistura de personalidades e vivências de toda a família surgiram ambientes em que se fundem o clássico e o moderno, peças de viagem e memórias, apontamentos vintage e obras de arte. «Neste projeto, as texturas foram a nossa eleição. Privilegiámos o conforto e o lado prático e, por isso, optámos por texturas que permitem que o espaço seja vivido tranquilamente não só pelos adultos mas também pelas crianças», explica a designer.

Na sala, onde também está integrada a zona de jantar, criaram-se dois espaços distintos – uma área social e um espaço mais familiar, onde se encontra a televisão. Aqui, nada foi deixado ao acaso, como demonstram as escadas, revestidas de cimento afagado e sobre as quais foi aplicada uma passadeira geométrica que permite trazer algum conforto a este material de cariz mais industrial.

No piso voltado para o jardim, criou-se uma segunda sala, dedicada à criatividade: «É uma sala para os miúdos e graúdos, um espaço onde se pode trabalhar, projetar um filme, dar um concerto ou simplesmente tocar um instrumento. A música faz parte das nossas vidas e é frequente estar em casa e estar alguém a tocar viola, guitarra, baixo ou bateria. Neste projeto, foi muito importante que existisse um espaço assim, multifuncional, onde podemos estar todos juntos mas a fazer coisas totalmente diferentes, num ambiente descontraído, onde os instrumentos tivessem um acesso fácil e imediato.»

Na decoração, as referências musicais são muitas, incluindo um papel de parede desenhado pela Fusion a partir de bilhetes de concertos guardados ao longo dos anos pelo marido de Maria Ana. A arte, aliás, é presença constante em toda a casa, com serigrafias de Cargaleiro e Vhils, pinturas de Sandra Bahia, Joana Arez e Teresa Abecassis, uma peça do oleiro José Franco e aguarelas dos filhos.

Se nas áreas comuns se procurou refletir a personalidade da família, já nos quartos a intenção foi garantir a cada um um espaço seu, capaz de responder às necessidades, às paixões e aos hobbies individuais.

Muito mais do que um projeto para admirar, esta é, assume Maria Ana, «uma casa que se vive intensamente. Todos os espaços e arrumações foram pensados ao pormenor, tudo tem um lugar, o que facilita a organização e o dia-a-dia.» Um bom exemplo de como estética e funcionalidade podem trabalhar juntas.

PROJETO:
Trendy Home
AUTOR: Fusion (design de interiores) / Arquiteto Luís Diniz (projeto de arquitetura) / Naturethos(construção)
LOCAL/DATA: Cascais, 2011