10 coisas que nunca deve usar no avião

Não é só o destino paradisíaco que conta quando partimos de férias – existem vários pormenores a considerar antes mesmo de chegar ao aeroporto. Em última análise, aquilo que decidimos levar para o avião no grande dia influencia, e muito, a qualidade da viagem.

Texto NM | Fotografias Shutterstock

Os hotéis estão marcados. As malas prontas à porta. Já só vemos golfinhos e mar turquesa a cada esquina, mas convém não esquecer que ainda temos a parte do aeroporto pela frente. E o momento do embarque. E a viagem de avião propriamente dita. E que não estando nós já no paraíso, há uma série de aspetos a ter em atenção para que o voo não se torne um inferno. Na dúvida, o melhor é deixar estas coisas em casa.

10. A SUA ROUPA PREFERIDA

Diante dos muitos passageiros estilosos que sempre circulam nos aeroportos a arrastar bagagem, é grande a tentação de querer arrasar também para a foto do seu Facebook e Instagram. E pode, claro. Só não será boa ideia fazê-lo com o seu conjunto preferido/melhor/mais caro: a eventual turbulência no ar, combinada com bebidas em tabuleiros instáveis e lugares apertados, pode resultar numa mistura explosiva. Para quê arruinar a indumentária e a boa disposição de uma penada, quando vai de férias para se divertir?

9. TECIDOS QUE PICAM

Vale muito a pena guardar uma peça mais quente na mala de mão – pode ser um casaquinho, uma camisola, uma écharpe –, mas certifique-se de que a malha não é das que arranham a pele. Pior do que ter frio no avião devido aos ares condicionados, é ter um agasalho que vestir e passar o voo desconfortável à conta dele. Ou então a incomodar o passageiro do lado com as suas comichões.

8. LEGGINGS

São ótimas, confortáveis, mas mais parecidas com collants do que com calças, pelo que será preferível optar por uma peça que não deixe margem para dúvidas a quem olha. Recentemente, a United Airlines viu-se envolta em polémica ao impedir duas jovens de embarcarem por usarem apenas leggings, mas não cedeu por considerar que o outfit era desajustado. Valerá a pena arriscar? Assim como assim, tem as férias todas para andar como quiser sem ninguém lhe dizer nada.

7. PEÇAS COMPLICADAS

Macacões, minissaias, vestidos curtos, roupa demasiado justa, com excesso de fechos e botões… Se quer saber que roupas não deve levar no avião, pense na quantidade de horas que vai ficar sentado. Ou no facto de ter que se esticar para guardar a mala na bagageira. Ou que o mais provável é ter de saltar por cima do passageiro do lado para esticar as pernas. Já para não falar naquelas casas de banho minúsculas em que mal nos conseguimos mexer, quanto mais andar à luta com peças excessivas… Há que ser prático.

6. CHINELOS E SANDÁLIAS DE PRAIA

Irá precisar deles logo que chegue ao destino, mas até lá é preferível levá-los na mala e não nos pés: ficam vulneráveis durante horas, sujeitos a enregelar na viagem, a maus odores, a pisadelas e contusões. Também no caso improvável de haver uma emergência, um bom par de ténis oferece melhor proteção contra objetos quentes ou cortantes do que os chinelos.

5. CALÇADO DESCONFORTÁVEL

Este ponto dispensa explicações: se já é difícil passar horas em trânsito, cansado e a arrastar malas, imagine isso com bolhas dolorosas, assaduras e os sapatos a quererem saltar-lhe dos pés, já de si mais inchados do que o habitual. No avião o conforto tem de vir sempre – sempre! – antes do estilo. Deixe os saltos altos para aquele jantar especial depois de estar instalado.

4. ROUPA DE VERÃO…

Passámos tanto tempo a sonhar com estas férias, nós deitados a tostar ao sol em Bali, que a tendência é querer ir logo de pareo para não perdermos tempo à chegada. Erro crasso: as temperaturas do avião são sempre muito diferentes das do local de destino, pelo que o mais certo é acabar por ter um viagem horrível, apanhado durante horas de shorts e sandálias num voo com o ar condicionado regulado para o frio. Se não quiser esperar pelo hotel para se trocar, pode sempre levar uma muda fresca na bagagem de mão e usar o WC do aeroporto à chegada.

3. … OU MUITO LARGA

Apetece muitas vezes seguir para o aeroporto em pijama ou com a roupa aconchegante de trazer por casa (sobretudo se vamos voar pela noite dentro), mas esta não é uma boa ideia: além de termos forçosamente de nos cruzar com outros passageiros pelo caminho (e aqui há uma certa compostura a manter), corremos o risco de a tripulação poder levantar entraves, dependendo do dress code da companhia aérea. Mais: sweatshirts demasiado largas ou com capuz fazem-nos parecer suspeitos de estarmos a esconder algo, com os eventuais problemas com a segurança daí decorrentes.

2. PERFUMES FORTES

Podem ser maravilhosos, caros, sublimes, mas também já todos tivemos a experiência de passar o dia enjoados com o cheiro demasiado forte de alguém com quem nos cruzámos de manhã, além de haver pessoas que são verdadeiramente alérgicas a certos odores. Não sabendo o que lhe reserva a viagem, coloque apenas um bocadinho do seu perfume ou loção – pode sempre reforçar a dose após aterrar.

1. OBJETOS METÁLICOS

Pulseiras e colares de metal, fivelas, relógios, montes de ganchos no cabelo, moedas nos bolsos… Se podem ativar os detetores de metais, então vai ter que tirá-los e colocá-los numa bandeja a cada embarque – o que, convenhamos, é uma grande maçada. E quanto mais objetos, maior a tormenta, pelo que o ideal é mesmo evitar levar roupa e acessórios de metal para não perder tempo desnecessário retido em filas.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.