10 coisas que devemos dizer aos nossos filhos todos os dias

Muitos pais limitam-se a bombardeá-los com ordens o tempo todo, porque o cansaço dos dias não lhes chega para mais, e depois admiram-se de ver os filhos ansiosos, revoltados, sempre do contra. Muitas vezes, dizer a frase certa na altura exata – e querer verdadeiramente ouvir a resposta – pode operar autênticos milagres na dinâmica familiar.

Texto Ana Pago | Fotografias Shutterstock

«Vai-te vestir. Vai lavar os dentes. Vai para a cama. Já viste as horas? Hoje não há tempo para história. Entra no carro e põe o cinto. Não faças barulho que eu quero telefonar. Vê lá se te entreténs um bocado. Estás-me outra vez a chamar? O que é que foi agora?» São muitas as frases que os pais repetem aos filhos no dia-a-dia, alguns fazendo mais disso a regra do que a exceção, mal se apercebendo do poder que têm de ferir com palavras os seres pequeninos que juraram proteger. A boa notícia é que as mesmas palavras que magoam também podem ajudá-los a crescer em amor, se soubermos o que dizer.

10. POR FAVOR E OBRIGADO

Para ser respeitado é preciso respeitar, e isso passa por fazer com as suas crianças o que pretende que elas façam em casa e com os outros, nomeadamente serem bem-educadas. Diga «por favor» sempre que lhes pedir algo e agradeça no final. Dar o exemplo é muitíssimo mais eficaz do que mandar. «Se como pais não aceitamos que ninguém nos trate com autoritarismo, também não podemos esperar que as crianças aceitem a autoridade por si só. Não queremos ser tiranos a exigir submissão», explica o neuropsicólogo Luís Maia.

9. DESCULPA

O mesmo para os pedidos de desculpa: se por acaso fizer asneira com o seu filho – e fazemos bastantes –, assuma que errou e peça desculpa: fazê-lo vai ensiná-lo que até mesmo os adultos têm de assumir a responsabilidade pelos seus atos. «Enquanto pais precisamos de orientar, liderar, acompanhar. Se a criança fez mal, a melhor forma de lhe mostrar como se faz de outra maneira é dando o exemplo», aconselha a especialista em parentalidade positiva Magda Gomes Dias.

8. COMO ESTÁS?

Como foi o teu dia? Como te sentes? São palavras simples que abrem infinitas portas à comunicação com um filho: além de o porem efetivamente a falar do mundo tal como o vê, fazem-no sentir-se valorizado como pessoa, identificar os seus próprios desejos e exprimir sentimentos e opiniões, em vez de se fechar na concha. Escute com empatia o que ele tem para lhe dizer quando se sente feliz, mas também triste ou frustrado. Ensine-o a pensar no que fez a cada dia e a procurar respostas quando não as encontra sozinho: dá a todos a oportunidade de se tornarem mais fortes enquanto família.

7. BOA TENTATIVA

Ninguém nasce ensinado, o que significa que o mais provável é ver os filhos baterem umas quantas vezes com a cabeça antes de acertarem… e está ótimo assim, faz tudo parte. As crianças são um “trabalho em progresso”, não adultos em ponto pequeno. Deixe-as dar largas à imaginação com diversos materiais e brincadeiras, sem exigir que sejam Da Vincis ou Van Goghs: os bons resultados na vida começam porque os pais aplaudiram os seus primeiros rabiscos num papel, os desenhos que se seguiram, a atenção com que viam um livro.

6. PARA A PRÓXIMA SERÁ MELHOR

Todos temos problemas, os nossos momentos maus (as crianças também), e ignorá-los não fará com que desapareçam. Ouça o seu filho. Pergunte-lhe o que gosta mais e menos de fazer, onde surgem as dificuldades, e ajude-o a encontrar pontos positivos nas experiências negativas, encarando-as como aprendizagens em si mesmas. Faz tudo parte de se estimular o otimismo nas crianças: tendo fé no futuro, mais facilmente vão acreditar que todos os dias são uma nova oportunidade.

5. NÃO FAZ MAL

Falhar não é um sinal de derrota. Nem errar. Nem ser o melhor aluno, o melhor músico ou o melhor atleta da escola. «Muitas vezes os pais caem nos engodos da hiperestimulação por pensarem que se trata de um requisito para desenvolver e valorizar profissionalmente os filhos», explica Catherine L’Ecuyer, investigadora em educação. E o erro está justamente aí, segundo ela: nada disso é necessário. «É importante os pais tentarem filtrar o stress e baixar o índice de rigor que lhes é exigido. Não vale a pena esperarem pela perfeição, porque não existe.»

4. SOU GRATO POR TE TER

Tão importante como dizer-lhes que os adoramos é sublinharmos que estamos gratos por os termos e eles serem exatamente como são, sem tirar nem pôr. A gratidão eleva para um outro nível a forma como a criança sente o amor dos pais e se sente valorizada no lugar que ocupa no mundo deles – e vice-versa. «Nunca nos podemos esquecer que um filho também entra na nossa vida para nos ajudar a ter noção do quanto ainda nos falta crescer», sublinha a psicóloga clínica Shefali Tsabary, autora de Pais Conscientes.

3. GOSTO QUANDO FAZES…

 

E concretize os pontos que merecem louvor em termos de comportamento, caráter, talento: fazer a cama, acompanhar o irmão nos trabalhos de casa, pôr a mesa, fazer as compras à avó. O mesmo quando se zanga com alguma coisa: desaprove aquele comportamento específico do seu filho mas não a criança em si. Nunca lhe diga que é imaturo, irresponsável, desajeitado, inútil, desastrado, alguém em quem não se pode confiar: vai pensar que está a desistir dele e nunca será ninguém na vida.

2. SEI QUE TU CONSEGUES

Para Magda Gomes Dias, aquilo que melhor nos define é a forma como enfrentamos o que nos acontece, pelo que esta frase devia ser um mantra de todos os pais: sei que tu consegues. «No seu livro Como Ser Feliz – A Receita Científica Para a Felicidade, a investigadora Sonja Lyubomirsky defende que grande parte do nosso contentamento depende da atitude dos pais, que por sua vez influencia a dos filhos», diz a especialista em educação positiva. Todos a repetir lá em casa as vezes que forem necessárias: «Sei que tu consegues. Sei que tu consegues.»

1. AMO-TE

E por último, não porque seja o menos importante mas para ficar a ressoar na memória, dizer-lhes que os amamos. É diferente de dizer que gostamos deles, como se gosta de arroz-doce ou bolachas de chocolate. O que eles precisam de saber é que são tudo para nós e têm o nosso amor incondicional, sem necessidade de se isolarem ou crescerem no medo. Parece óbvio que os filhos saibam deste sentimento, mas muitos nunca ouvem as palavras. E tanto que precisam delas para se certificarem de que não podem perder o amor dos pais, façam o que fizerem.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.