Uma fortuna para a casa do saber

57c9ca2f170000012ac774a7__

Publicidade

Robert Morin doou toda a sua herança à universidade onde se formou.

Milionário insuspeito, Robert Morin decidiu doar toda a sua fortuna à Universidade de New Hampshire, onde se formou em 1961.

Ninguém poderia imaginar que Robert Morin fosse dono de uma fortuna. Afinal de contas, conduzia um carro velho, comia refeições congeladas e mal saía de casa. Foi graças a estas rotinas que o norte-americano conseguiu juntar 4 milhões doláres (cerca de 3.600 milhões de euros), quantia que, depois de morrer, foi doada na sua totalidade à Universidade de New Hampshire (UNH), onde se formou em 1961.

Num comunicado divulgado pela UNH, Edward Mullen, conselheiro financeiro de Morin, com quem começou a trabalhar na década de 1970, revelou que o homem milionário não tinha familiares a quem gostaria de passar a sua herança, e que confiava plenamente na universidade para fazer um bom uso daquele dinheiro.

Do valor total, 100 mil dólares (cerca de 90 mil euros) serão entregues à biblioteca daquela instituição de ensino, a Biblioteca Dimond, onde Morin trabalhou durante quase cinco décadas. No comunicado lê-se que o dinheiro não só financiará a remodelação de uma das salas de multimédia do espaço como também permitirá a criação de bolsas de estudo para os trabalhadores-estudantes e funcionários que se dedicam aos estudos literários.

«Esta é uma doação extraordinária e surge num momento fulcral. Muitas iniciativas vão conseguir andar para a frente graças a este gesto generoso», escreveu Deborah Dutton, presidente da UNH Foundation, no comunicado. Também o reitor da universidade, Mark Huddleston, agradeceu a generosidade de Morin.

Na Biblioteca Dimond, Robert Morin passava despercebido. O seu trabalho consistia em catalogar livros. Lia muito, era fã de cinema e gostava de assistir a jogos de futebol. Em 2014 reformou-se. Morreu em março do ano seguinte, com 77 anos.