OPINIÃO

Sopas: detox à colher

Chegou a moda de nos alimentarmos de sopas durante uns dias – chamam-lhe souping e dá vontade de gozar com o nome. Mas será que resulta mesmo?
Souping
Souping

Arrume o liquidificador e ponha a varinha mágica a funcionar: depois da dieta detox com base em vegetais e frutos batidos em sumos, chegou a moda de nos alimentarmos de sopas durante uns dias – chamam-lhe souping e dá vontade de gozar com o nome. Mas será que resulta mesmo?

A sopa é rica em nutrientes, saciante, pobre em calorias (se não a encher de batata, claro!), barata e fácil de fazer. Um mundo de vantagens que torna difícil perceber por que foi durante tanto tempo considerada um parente pobre da família gastronómica. Mas tudo mudou recentemente, quando a indústria americana do bem-estar, sempre em busca de tudo o que é saudável e pode virar moda, a transformou numa estrela com direito a presença nos programas do Dr. Oz e nos blogues de quem lança tendências, como a atriz Gwyneth Paltrow.

Se todo este burburinho fosse apenas uma apologia da sopa, não seria muito diferente do que todas as mães dizem aos filhos pequenos. Mas, neste caso, a boa velha sopa está a ser apresentada como «desintoxicante». Ou seja, uma boa opção para depois de períodos festivos, para compensar os excessos alimentares e como uma forma de perder peso. O souping põe-se em prática em períodos que entre um e cinco dias, durante os quais se come apenas sopa, para ajudar o organismo a eliminar toxinas em excesso.

Antes de discutir uma dieta com base em sopas, importa refletir sobre a validade do conceito de «desintoxicação» e «purificação» do organismo. E, sobre isso, a comunidade médica é relativamente clara: o nosso corpo está carregado de toxinas – não há como não estar, porque elas estão em tudo à nossa volta. Mas é para isso que temos um par de rins – que filtram as substâncias de que já não precisamos e as eliminam pela urina – e um fígado – que transforma toxinas lipossolúveis em hidrossolúveis para que possam ser também eliminadas. Estes é que são os agentes desintoxicantes do corpo. Se funcionarem bem, dão conta do recado.

Posto isto: pode a nossa alimentação ajudar ou dificultar a tarefa destes órgãos? É aceite que sim. Se abusamos de gorduras, açúcares, sódio (sal) e álcool estamos a sobrecarregar o trabalho dos rins e do fígado – além de nos arriscarmos a diabetes, tensão alta ou colesterol. Mas, assumindo que fazemos por norma uma alimentação saudável, não serão dois ou três dias de excessos que nos «intoxicam». Tal como não serão dois ou três dias a comer sopa que nos desintoxicam do que quer que seja. Um estilo de vida que não é saudável e é excessivo não pode ser equilibrado por dois ou três dias a sopas.

Num adulto saudável e com hábitos saudáveis, após um período esporádico de excesso, basta retomar uma alimentação equilibrada e variada para reduzir progressivamente o esforço destes órgãos. Mas, por outro lado, mal também não faz: ainda que os resultados do souping não sejam exatamente os pretendidos, nomeadamente emagrecer ou «desintoxicar», introduzir mais vegetais na dieta e comer sopa durante dois ou três dias não fará mal a ninguém.

GUIA COMPLETO

QUANDO?
Escolha um período calmo: não é boa ideia fazer uma restrição
alimentar numa altura em que esteja a sentir-se stressado. A condicionante só lhe aumentará a ansiedade.

COMO?
Comendo apenas sopas de legumes (até cinco a seis sopas por dia) durante dois ou três dias. Há alguns livros aos quais recorrer para receitas de sopas saudáveis.

ONDE?
Em casa! A realidade é que não faz a mínima ideia do conteúdo da maioria das sopas de restaurante, nomeadamente a quantidade de sal ou a frescura dos legumes.

A MAIS VELHA RECEITA DO MUNDO?
Caldo verde em Portugal, gazpacho em Espanha, sopa de miso no Japão, borscht na Rússia. Atirar com vegetais, massa, carne, peixe ou outros alimentos – os disponíveis – para dentro de uma panela com água é a mais universal forma de cozinhar do mundo, além de ter sido provavelmente a primeira. Alguns autores defendem que, na Pré-História, já se colocassem alimentos dentro de poças de água quente provenientes da atividade vulcânica, fazendo «sopa» não só antes de criarem um objeto para poderem colocar os alimentos, como antes mesmo da descoberta do fogo.

LEITURAS

SOPAS, SALADAS E CHÁS DETOX, Lillian Barros, ed. Manuscrito Editora

OU SIM OU SOPAS, Angela Blatteis, ed. Arena PT

SOPAS COM SEGREDOS, Samanta McMurray, ed. IN

SOPAS TRADICIONAIS, Maria Antónia Goes, ed. Feitoria dos Livros

SOPAS, Sophie Grigson, ed. Livraria Civilização Editora

Sofia Teixeira
Fotografia de Getty Images