Queimaduras infantis

nm1240_bemestar01

Publicidade

Quando a nossa casa é uma armadilha

A curiosidade das crianças pode originar vários acidentes domésticos, mas as queimaduras estão entre os mais graves. A prevenção e a vigilância podem evitar o pior.

É um autêntico paradoxo: os pais querem proteger os seus filhos e normalmente é em casa que os sentem seguros. Mas também é lá que o perigo anda à espreita e que os acidentes acontecem. Muitas vezes, com uma enorme facilidade e em poucos segundos. «Em todo o mundo, as crianças com menos de 5 anos representam 15 por cento das mortes relacionadas com queimaduras», alerta a Direção-Geral da Saúde no relatório Programa Nacional de Prevenção de Acidentes 2010-2016 citando o European Report on Child Injury Prevention.

VIGILÂNCIA
A vigilância dos adultos é essencial. «Há regras simples que ajudam a evitar a maioria dos acidentes e a poupar vidas, incapacidades, idas ao hospital e sofrimento», alerta a Associação para a Promoção da Segurança Infantil (APSI).

PREVENIR E NÃO REMEDIAR
Fogo, líquidos ferventes ou eletricidade são as principais causas. Também a Associação Amigos dos Queimados (AAQ) tem alertado para o facto de ser possível prevenir a maioria dos acidentes graves em crianças. A cozinha constitui um dos locais mais perigosos, pelo que deve evitar confecionar alimentos no fogão com crianças por perto. Por outro lado, certifique-se de que elas não estão nas imediações quando transporta panelas ou tachos com líquidos quentes que podem facilmente cair sobre elas. Quando tem o seu filho ao colo, evite beber café ou chá quente.

ELETRICIDADE
Assim que começam a gatinhar, as crianças ficam ao nível das tomadas. «A criança consegue introduzir os dedos pequeninos, esguios e por vezes molhados nas tomadas – ou inserir objetos condutores», alerta a AAQ. Cobrir as tomadas elétricas com capas protetoras de forma a impedir o acesso é uma medida simples e eficaz. «Posicionar as tomadas elétricas de forma inacessível, colocando, quando possível, móveis diante delas» também é prudente.

NA BANHEIRA E NA MESA
No banho, a APSI recomenda que «deite primeiro a água fria e só depois a quente». E não deve utilizar o micro-ondas para aquecer o leite. «Antes de dar o biberão, verifique a temperatura, entornando uma gota no seu pulso. Agite bem o biberão antes de ver se está quente. O vidro pode estar morno, mas o leite a ferver podendo queimar a boca do bebé.» Muito importante nesta altura do ano é proteger as lareiras, os aquecimentos e todas as fontes de calor.

NÃO ESQUECER
_Verificar a temperatura da água do banho antes de o iniciar (colocar primeiro a água fria e depois a quente).

_Despejar a água do banho da criança logo que o banho acabe.

_Não comer ou transportar líquidos quentes com crianças ao colo.

_Colocar protetores nas tomadas e manter em bom estado de conservação todos os eletrodomésticos, tomadas, fichas e fios elétricos.

_Guardar fósforos em isqueiros em armários altos e de preferência fechados à chave. (Fonte: INEM)