OPINIÃO

Londres vai ter rival da Disneyland Paris

Vai nascer um novo parque temático na Europa, com divertimentos para pessoas de todas as idades.

O parque temático Disneyland Paris vai ter um rival à altura. O London Paramount Entertainment Resort, o primeiro do género em terras britânicas, promete abrir portas em 2021. Mas há mais locais de diversão que agradam tanto aos mais pequenos como aos graúdos: o parque Walt Disney na China continental foi inaugurado há dias.

No Reino Unido, aquilo que se encontra ainda em fase de construção no condado de Kent, próximo de Londres, e que se espera abrir portas em 2021, é o London Paramount Entertainment Resort. O parque temático com a chancela do estúdio de Hollywood promete divertimentos para miúdos e graúdos, numa «brincadeira» que custará dois mil milhões de libras e que poderá ser um rival à altura dos parques Disney.

O parque vai ter várias zonas temáticas, com atrações variadas destinadas a famílias, crianças e gente em busca de emoções mais fortes. E tendo em conta que algumas das produções do estúdio fazem já parte da história do cinema, não será de estranhar que filmes como Missão Impossível, Star Trek, o Padrinho ou a saga Indiana Jones tenham espaço garantido.

À semelhança do que acontece na Disneyland Paris, também aqui se pretende que o entretenimento seja palavra de ordem, assegurado por espetáculos e eventos musicais e teatrais, com a assinatura não só da Paramount mas também da BBC ou da Aardman, o estúdio de animação do qual saíram, entre outros, êxitos como a Ovelha Choné. Do projeto faz também parte um dos maiores parques aquáticos interiores da Europa, assim como alojamento, com cadeias de hotéis que irão oferecer cinco mil quartos.

Já em Xangai, o projeto começou a ganhar forma em abril de 2011 e exigiu um investimento de 5,5 mil milhões de dólares (cerca de 4,9 mil milhões de euros). Inaugurado este mês, o Shanghai Disney Resort tornou-se o sexto parque de diversões da Disney e passou a deter o maior castelo Disney do mundo. Não faltam as melhores atrações, divertimento para toda a família, como um passeio no barco dos Piratas das Caraíbas, hotéis, restaurantes e, claro, um regresso aos filmes e personagens que fizeram parte de várias gerações.

Bob Iger, CEO da The Walt Disney Company, disse: «Não construímos uma Disneyland na China, construímos a Disneyland da China». A adesão no dia da inauguração foi de tal forma que a Disney espera, facilmente, conseguir ultrapassar a fasquia que impôs dos 10 milhões de visitantes por ano. Só em Xangai e nas regiões próximas vivem mais de 300 milhões de pessoas.

Redação
Fotografia Direitos Reservados