OPINIÃO

Judoca Miguel Vieira termina em 9º lugar nos Paralímpicos

Foi a primeira vez que o judo português esteve representado na competição.

É um ano de conquistas para o judo português. Depois do bronze de Telma Monteiro, há um novo motivo de orgulho: o 9º lugar de Miguel Vieira nos Paralímpicos do Rio2016.

O judoca Miguel Vieira terminou ontem a sua participação nos Jogos Paralímpicos do Rio2016 no 9º lugar. No seu primeiro combate, o judoca, que compete na categoria de -66 kg, não conseguiu superar o atleta da casa Halyson Oliveira Boto. «Depois de um ataque que não foi bem conseguido, ele conseguiu responder e estava a ‘estrangular-me’ o ombro. Fui obrigado a desistir», explicou o português de 31 anos, portador de deficiência visual desde os 20, em declarações à agência Lusa.

No final do combate, Miguel Vieira agradeceu ao seu treinador, Jerónimo Ferreira, e ao seu parceiro de treino, Nuno Ferreira, por todo o apoio prestado. Fez igualmente questão de agradecer o apoio da família e amigos.

Apesar da derrota frente ao brasileiro, Miguel Vieira, que ocupa o 20º lugar do ranking mundial, fez um balanço positivo da sua estreia paralímpica, e só o facto de ter conseguido apurar-se para a competição já é motivo de orgulho. «Foi muito bom, há sempre uma emoção única na estreia. Este combate vai ficar para sempre na minha mente», disse o atleta, que entrará para a história da modalidade como o primeiro judoca português a competir nos Jogos Paralímpicos.

O judo, que integra o programa dos Jogos Paralímpicos desde Seul (1998), entrou na vida de Miguel Vieira aos 16 anos. Começou a praticar a modalidade em Angola, onde nasceu, e quando ainda não era cego. Em Portugal fez várias intervenções cirúrgicas para travar uma doença ocular, sem sucesso. Aos 20 anos cegou completamente. Longe da sua terra natal, num país que lhe era estranho, Miguel Vieira encontrou no desporto a força para se reerguer.

Em 2013 ganhou a medalha de ouro no Open Internacional Saltinis Games, na Lituânia. No ano passado venceu a prata no Open da Alemanha e participou no Campeonato Europeu de Judo para Cegos, tendo terminado em 7º lugar.

Além do judo, Portugal vai estrear-se nos Jogos Paralímpicos Rio2016 na modalidade de tiro, com o atleta Adelino Rocha. No total são 37 os atletas portugueses a competir em sete modalidades paralímpicas: judo, tiro, atletismo, natação, equitação, ciclismo e boccia.

Conheça as histórias de superação de outros atletas paralímpicos na próxima edição da Notícias Magazine (11 de setembro).

Cátia Pereira Matos
Fotografia Federação Portuguesa de Judo