Bichos-do-mato ou da praia?

OOpostos férias

Publicidade

Férias: no campo ou na praia? As opiniões divergem.

Na altura de escolher o tipo de férias grandes pode haver oposições intransponíveis. Férias de campo ou férias de praia? Eucalipto ou maresia? Em vez de vir o diabo e escolher, juntámos Ana Santiago, partidária do mar, com Sara Ribeiro, indefetível do campo.

As férias ideais para cada um de nós têm que ver com o que de mais íntimo há em nós. Se para muitos a entrada no paraíso pode ser beber um fino gelado num final de dia num bar de praia, há quem sonhe com uma levada matinal numa montanha verdejante.

Sara Ribeiro, repórter, prefere o sossego do campo. Diz que é uma questão de estado de espírito. Sabe que em Portugal está em minoria, embora seja uma minoria em crescimento, graças a um aumento da oferta turística nas serras e no interior do país. Enquanto isso, Ana Santiago, responsável de comunicação da Start Up Lisboa, só pensa nos prazeres de um dia ao sol com o mar bem perto, mesmo sem ser alérgica aos encantos do campo. «Na verdade, ir de férias para o campo é sobretudo chato! Para mim é claustrofóbico – detesto estar rodeada de montanhas. Sinto-me mal e uma vez até desmaiei com o cheiro dos eucaliptos. É parado e tem muitos bichos. Nunca conseguiria fazer férias no campo, ficaria enjoada!», começa por provocar, esquecendo-se que a praia tem também bicharocos de areia e alforrecas na água, já para não falar do famoso peixe-aranha.

Claro que Sara contra-ataca: «As praias é que são uma real seca, sobretudo quando está vento, que faz levantar a areia e voar os chapéus… E nunca há espaço para pôr a toalha. Além de que não compreendo aquilo de as pessoas estarem ali com a pele a assar horas, como se estivessem num grelhador. Depois acontecem sempre coisas chatas como um puto a atirar-nos a bola para cima ou o mirone que está nas dunas… Outra das minhas irritações: o senhor da bola-de-berlim, sempre a gritar.»

A única concessão de Ana à ideia de uma escapada campestre é ser perto do mar e, de preferência, no Alentejo: «Ajuda também ter piscina, não gosto de nadar em canais ou barragens.» O que são umas férias de praia ideais? «Apanhar mar flat, água transparente, bandeira azul e verde. Não ter cem pessoas em cima de mim na areia. Sou muito estética Verão Azul [mítica série dos anos 1980 que a RTP celebrizou nas tardes do fim de semana].»

A bola está agora do lado de Sara que sintetiza as férias de campo ideais: «Podem ser numa aldeia e com possibilidades de exploração. Adoro esta ideia de ir passear e não saber bem o que vou encontrar. Sou muito fã de ar puro e de poder fazer caminhadas. Aqueles cheiros! A Ana diz que não gosta do cheiro a eucalipto, mas eu adoro! Dá-me uma respiração nova.» Mal acaba de dizer isso, lembra-se de possibilidades de férias de campo no… inverno: «Adoro o cheiro de lareiras e de terra molhada. Enfim, no campo vem ao de cima todo aquele lado puro do nosso país. Cada vez que saio da cidade e vou para o campo é um ensinamento. » «Por amor de Deus», protesta Ana, «na praia também podes ter o ensinamento do pescador…».

Mais calmas, Ana continua a falar de prazeres de praia, como, por exemplo, andar de bicicleta junto ao paredão, coisa que faz sempre nas E já que pode escolher prefere as praias mediterrânicas, em especial das ilhas. A sua preferida em Portugal: «A praia da Pedra Estreita, no Algarve, perto de Santa Luzia. Ninguém conhece? Ainda bem! Uma pessoa tem de apanhar o barco e é a praia com a areia mais branca e a água mais límpida de todo o Algarve.»

Sara não se conforma e lembra-se de outro argumento antipraias: «Odeio quando o mar fica cheio de limo e a água em Portugal é sempre muito fria… já para não falar que depois de um dia na praia fico sempre mole. É terrível depois ter de fazer a caminhada para o carro.»

No último tópico de combate: a noite na praia versus a noite no campo, Sara lembra o seguinte: «É no campo que à noite temos aquelas conversas que nunca se reproduzem e que trazem ao de cima as nossas loucuras. Trata-se do estado puro em todos os sentidos e é muito giro irmos em grupo. É quase uma experiência para nos descobrirmos.» Ana, por seu turno, diz que o melhor, perto da praia, é sair pouco à noite, para isso temos a cidade: «Não sou nada de mega discotecas de verão. Fujo dos Pachas da vida no Algarve.»

Cada um tem as férias que merece ou deseja. Com capim ou grãos de areia.


Leia também: «Férias cá dentro vs. férias lá fora»


SARA RIBEIRO
Repórter televisiva e produtora, é responsável também pelo canal de Youtube thisissara. Nascida em Lisboa há 27 anos, foi apresentadora do Clube Offbeatz, na SIC Radical, onde revelou novos talentos da música moderna nacional.

ANA SANTIAGO
Formada em Comunicação Social, editou a Agenda Cultural da C. M. Lisboa e é nestes dias a responsável de comunicação da Start Up Lisboa. Não há muitos anos integrava a equipa da rede Shortcutz, um evento de curtas-metragens internacional e com sede em Lisboa.