OPINIÃO

Apetites extremos

António Cabral e Ana Galvão. Que é como quem diz pró-carne vs. anticarne.

Ana Galvão é adepta da cozinha macrobiótica e não come carne – não é vegetariana, isso é outra coisa. António Cabral é especialista em bifes de eleição. Conversaram sobre consciencialização alimentar e bom senso.

Dizem que é um dos melhores bifes de Lisboa, aquele que é servido no Café de São Bento. Por isso, António Cabral, o proprietário, seria um bom «opositor» para uma das mais famosas defensoras dos direitos dos animais e confessa antibifes, a apresentadora e radialista Ana Galvão. Não se conheciam, mas não chegaram à sessão fotográfica com sete pedras na mão. Ana quis logo esclarecer: «A macrobiótica não proíbe o consume de carne. Aliás, não proíbe nada, apenas adequa a melhor alimentação para cada clima, necessidade física e pessoa, embora acredite que existam nutrientes que substituem muito bem a carne. Vejam o meu exemplo: sou mãe, faço meias-mararonas e trabalho muito. Sou saudável e não como carne. Sinto-me mais leve!» A apresentadora de As Donas de Casa da Antena 3 não é vegetariana, mas adepta da cozinha macrobiótica – está a frequentar um curso de três anos desse regime de vida e alimentar.

António não é um carnívoro radical. Tem um discurso com conta, peso e medida na defesa dos seus argumentos. «A minha vantagem em relação a quem não come carne é que consigo perceber o melhor dos dois mundos: o prazer de uma boa salada e o prazer de um bom bife.»

«Não me lembro do sabor da carne», diz Ana. «Mas não me faz falta. Quando era pequena queria sempre comer carne… mas a minha mudança teve que ver com uma consciência perante a indústria alimentar e a defesa dos animais. Foi uma decisão moral e racional», responde Ana, que, ainda assim, frisa não ser tão doentia como Morrissey, a estrela pop britânica que declarou guerra à carne e derivados.

«O segredo de um bom bife é a qualidade da carne e o seu corte», diz António. «Um corte perfeito pode levar a que se perca 45% do bife do lombo para que fique no ponto exato. Por isso, os nossos bifes são caros!» E são, de facto: 23,40 euros.

Ana não fica impressionada e acredita que é essencial procurar alternativas alimentares. «Era importante que as pessoas pudessem procurar as suas próprias respostas para uma alimentação mais saudável. Investiguem! Não temos de comer da mesma maneira para sempre…» E que refeição macrobiótica sugere ao oponente? «Uma lasanha vegetariana, mas sem leite. Não tomo nenhum produto lácteo ou animal…» Depois, lembra-se ainda de um argumento de peso: «Ninguém contesta que a indústria da carne é das que mais estão a destruir o planeta.»

António não se exalta e lembra que o problema está em comermos em demasia. Acredita que a quantidade é elevada para as necessidades e que comemos carne sem qualidade, ainda por cima.

ANTÓNIO CABRAL
Ex-oficial da Marinha, é um dos sócios do Café de São Bento, o restaurante lisboeta com os bifes mais elogiados. Acredita que a carne faz bem à saúde. «Sempre percebi que a carne é indispensável à saúde, tem proteínas e costuma-se dizer que quem come peixe não puxa carroça…»

ANA GALVÃO
Locutora da Antena 3, apresenta com o marido, Nuno Markl, Animais Anónimos, um magazine sobre animais na RTP. É da opinião que a carne não faz bem. «Já há muitos estudos de universidades, como Harvard, que dizem que uma alimentação com carne faz pior à saúde e que já associam o consumo ao cancro.»

Rui Pedro Tendinha
Fotografia: Gustavo Bom/Global Imagens